publicidade
publicidade

bem-estar | Ayurveda

Água Morna em Jejum

Entenda o porque desse hábito ayurvédico Por Erick Schulz

Muitos já devem ter ouvido falar que beber água morna em jejum faz bem para o organismo. Muitos, quando começam a estudar ayurveda ou passam por algum profissional ayurvédico, ouvem sobre essa prática, mas não realmente para que serve e como tomar. Eis algo que fui analisar para poder escrever aqui para vocês.

 

A água morna pela visão do Ayurveda limpa as toxinas (ama), então bebê-la logo pela manhã, ajudará no processo da digestão, ajudando o jataragni (fogo digestivo) a digerir melhor, realizando assim uma melhor absorção e melhor construção dos dejetos (malas) que deverão ser eliminados todas as manhãs.

 

Pode-se tomar somente água morna? Sim, pode, mas também é aconselhado misturar algum ingrediente específico a sua tipologia ayurvédica para melhorar algo que esteja em desarmonia ou manter a harmonia.

 

A receita mais conhecida de todas é a água morna com gotas de limão, que pode ser usada para todos os biotipos, com cuidado nos pittas. Caso a pessoa pitta sinta algum desconforto em ingerir água morna com gotas de limão pela manha, é aconselhado colocar junto com a água outro ingrediente, mesmo o limão sendo ótimo para diversas desarmonias.

 

Além da água morna com limão, a pessoa de biotipo vata poderá acrescentar uma pequena pitada de sal. Dê preferência para o sal com pouco iodo ou sal mineral, como por exemplo, o sal de rocha ou o sal do Himalaya (no Brasil este mesmo sal é conhecido como sal gema).

 

Já as pessoas kapha poderão tomar a água morna com gotas de limão misturada com mel, isso se a pessoa não tiver nenhum problema com açúcar, neste caso tomar somente a água morna com limão. Vale a pena lembrar que o mel nunca deve ser aquecido com a água morna, deve-se esperar esfriar a água, até que atinja uma temperatura morna e depois se coloca um fio de mel.

 

Realizando uma busca nos livros ayurvédicos, encontrei outras fórmulas interessantes que podem ser tomadas com a água morna em jejum, como, por exemplo, o Triphala, ou então especiarias ou ervas específicas para o biotipo de cada pessoa.

 

De acordo com o dr. Robert Svoboda, em seu material didático de seu curso no Instituto Ayurvédico de Albuquerque, Novo México/USA, as ervas e medicinas ingeridas como sendo a primeira ação do dia, em jejum, servem como rasayanas (ciência do rejuvenescimento no Ayurveda)m e deverão ser voltadas para enfermidades kapha, como a gripe comum, bronquite e a obesidade.

 

O ayurveda está no coração de todos.

Um Abraço ayurvédico

Namaskaram

Erick Schulz